Foto da capa

Foto da capa

- Tragédias do Cotidiano - Divaldo Franco

Prosseguem na sua faina interminável as tragédias do cotidiano, ceifando vidas de maneira perversa e descontrolada. No Mar Mediterrâneo continuam a ser abandonadas as vítimas dos países dilacerados pelas guerras cruéis, como recentemente mais de 1.500 foram resgatadas pela Itália, quando buscavam oportunidade nova de vida na Europa exausta e com excesso de população.
Em toda parte avolumam-se os atos de violência e de desespero em que existências louçãs ou não experimentam o gume que lhes ceifam a oportunidade de desenvolvimento.
E por mais se apresentem excruciantes, sempre surgem formas novas de extinção da vida, de maneira hedionda. Foi a ocorrência fatídica na Barra da Tijuca, conforme noticiou angustiada a Imprensa do país há poucos dias. Referimo-nos à família que foi destroçada, crê-se que pelo chefe do clã, cavalheiro honrado, desfrutando de respeitável posição socioeconômica, com esposa bela e filhos lindos. A senhora, possivelmente dormindo, foi assassinada a faca, e as duas crianças, seus filhos, foram atirados da janela do alto edifício com o próprio genitor. Apesar de acostumados com os dramas trágicos, essa calamidade surpreendeu, não apenas aos amigos, familiares e moradores do bairro, bem como toda a sociedade que lhe tomou conhecimento.
Que estado de desespero ou de consciência alterada leva alguém a cometer tantos e tão hediondos crimes? Quais as razões, se é que existem razões para ações de tal porte, que induzem a criatura humana a matar de maneira quase inconcebível?
Por mais que se encontrem fatores psicológicos, sociológicos, econômicos ou de outro porte, vale a pensar que “a criatura moderna perdeu o endereço de Deus” e, em consequência, perdeu o próprio também. A falta de fé na imortalidade reduz a vida na Terra a uma experiência sem sentido nem significado.
Torna-se necessário que se volte a Deus e à fé religiosa, seja qual for, para evitar-se tragédias de tal magnitude.
                                                                                                     Por Divaldo Franco

- Força Interior

Não menosprezes a força interior que Deus te conferiu como dom natural.
Essas energias superiores estão em ti, basta somente que as liberte e um fluxo energético te guiará melhor ante tua própria existência.
O acontecimento não é o que ocorreu, mas sim o que fazes com aquilo que ocorreu. Podes tornar pior ou suavizar tuas tribulações pelo jeito com que reages a elas.
Tua dor será sanada.
Teu conflito, extirpado.
Tua ansiedade, apaziguada.
Tuas buscas sempre encontrarão porto feliz.
Usa abundantemente tua luz interior e terás maior lucidez e discernimento em tua casa mental.
As soluções fluirão mais fáceis, se te integrares nesta força íntima que habitam em ti, pois és herdeiro de Deus.
Ele habita em teu âmago; busca-O, e essas potencialidades divinas estarão mais disponíveis em ti mesmo.
Assim, a harmonia e a serenidade estarão contigo, reforçando o elo que te ligara Divina Providência.

Autor: Hammed

Médium: Francisco do Espirito Santo Neto

- XV Jogos Paralímpicos de Verão Rio 2016

Rio de Janeiro - Os Jogos Paralímpicos de Verão de 2016, oficialmente Jogos da XV Paralimpíada ou Paralimpíada do Rio 2016, é um evento multiesportivo para atletas com deficiência sendo organizado pelo Comitê Paralímpico Internacional.

O processo de eleição da cidade-sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Verão de 2016 ocorreram entre 2007 e 2009 e contou com a participação de sete cidades de três continentes. Foi escolhida a cidade do Rio de Janeiro para entre os dias 7 à 18 de setembro de 2016 acolher este evento que tem como slogan: "Um mundo novo". Vale destacar que é a primeira vez que os Jogos Paralímpicos são sediados na América do Sul.

O logotipo segue o mesmo padrão do logotipo dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016. Segundo os criadores, este logotipo representa o pulsar do coração do atleta, o espírito paralímpico e as curvas montanhosas do Rio de Janeiro.

Veja abaixo a diferença entre os logotipos:logo1
Desejamos sucesso aos atletas, treinadores e organizadores desta que considero:
“Olimpíada de Heróis”. Deus abençoe a todos.

- 7 Setembro, Independência do Brasil

A Independência do Brasil ocorreu em 7 de setembro de 1822 e foi a partir desta data que o Brasil deixou de ser uma colônia de Portugal. D. Pedro I ao viajar de Santos para São Paulo,recebeu uma carta da Coroa Portuguesa que exigia seu retorno imediato para Portugal e anulava a Constituinte. Diante desta situação, D. Pedro deu seu famoso grito, as margens do riacho Ipiranga: “Independência ou Morte!”

7setamp

- Harmony of the Spheres - Joep Franssens

Joep Franssens é um compositor holandês, nascido em 1955 em Groningen, nos Países Baixos. Estudou composição com Louis Andriessen no Royal Conservatory em Haia.
Em 1982 continuou os seus estudos com Klaas de Vries no Conservatório de Roterdão onde, em 1988, concluiu os seus estudos obtendo um prêmio de composição.
Ele é representante da geração pós-serial de compositores holandeses que usam meios tons e uma linguagem acessível sem características neo-romântico, mesmo que o pathos-laden, natureza altamente emocional de sua música parece contradizer este esforço. Em suas obras, que consistem em música de câmara e obras corais e orquestrais, Franssens visa uma síntese de monumentalidade e eufonia e é inicialmente guiado por J. S. Bach e Ligeti de Lontano.
Mais tarde, uma tendência em direção à austeridade radical torna-se aparente sob a influência da música americana minimalista, misticismo do leste europeu e a música pop sinfônica da década de 1970, culminando na diatonicismo estática do trabalho conjunto Dwaallicht (1989) e o contraponto sereno de Sanctus para orquestra (1996, rev., 1999). Sua instrumentação mostra cada vez mais a preferência por cores quentes, luxuriante.
A obra Harmony of the spheres possui cinco movimentos para coro misto e orquestra de cordas.

Movimento I - 00:00
Movimento II - 10:10
Movimento III a - 18:15
Movimento III b - 33:45
Movimento IV - 42:36
Movimento V - 49:20

Gravado com o Coro de Câmara da Holanda, Orquestra de Câmara de Tallinn e conduzida pelo Maestro Tõnu Kaljuste.

            Coloque os fones de ouvido, em silêncio, feche os olhos e tenha uma boa audição.

- O legado de D. Rosa da Fonseca para a Família Militar.

CICLO DE ESTUDOS SOBRE A TEORIA E MÉTODO 
APLICADOS À PESQUISA EM HISTÓRIA MILITAR

Rio de Janeiro - O Sr Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército (DPHCEx), através do Centro de Estudos e Pesquisas de História Militar do Exército (CEPHiMEx), firmando parcerias com a DPHDM, o INCAER, o IGHMB, a ANVFEB e a AHIMTB, se propôs a organizar um grupo de estudos sobre teoria e método aplicado à elaboração de um projeto de pesquisa em História Militar, tendo como o tema "O Legado de D. Rosa da Fonseca para a Família Militar". Tal evento acontecerá nas tarde entre os dia 13 de setembro a 18 de outubro.
O Exército Brasileiro, cujas bases se firmam solidamente em pressupostos de ética, honra, caráter, ao lado da hierarquia, da disciplina e da camaradagem, entende que uma concreta base familiar é condição sine qua non na consolidação de traços positivos de comportamentos socialmente benéficos.
A escolha da D. Rosa da Fonseca, como Patrona da Família Militar, pela magnitude de sua personalidade, bem como pela devoção e abnegação da família Fonseca à causa militar, torna esta homenagem oportuna e mais do que justa, restando assim, exemplos de união familiar, de patriotismo e devoção ao Brasil. Logo, torna-se fundamental o domínio do instrumental teórico e metodológico para a construção dessa abordagem histórica sob critérios científicos.
Venha participar. Informações e inscrições: 
Telefone: (21) 2565-8390 – Opção 4
 

- 25 de Agosto - Dia do Soldado - Ordem do Dia/2016

Hoje, 25 de agosto, na data de nascimento do Marechal Luiz Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, celebramos o Dia do Soldado, ao mesmo tempo em que prestamos justa homenagem ao insigne Patrono do Exército Brasileiro. 
Reverenciar Caxias é uma forma de cultuar a todos os que, por amor à Pátria, lutaram para forjar a nacionalidade brasileira, expulsando o invasor estrangeiro, pacificando os conflitos internos, consolidando a independência, criando o amálgama de credos, raças e tradições, tão necessários para a identidade de uma Nação que deseja ser forte e soberana. 
Caxias é o Exército; é o Brasil! Simboliza e personifica o patriotismo, natural do Soldado Brasileiro. Todos os valores morais, físicos e intelectuais do militar exemplar, Caxias os possuía: a generosidade, a dedicação, o destemor, o desinteresse e o entusiasmo. Herói ilustre que soube combater e vencer com bravura, em todos os momentos em que o chamou o serviço da Pátria. Caxias – O PACIFICADOR – nosso maior Soldado. 
Nos dias atuais, seu exemplo continua a inspirar inúmeros cidadãos fardados que, anonimamente e de forma silente, defendem as fronteiras e guarnecem os mais de oito milhões de quilômetros quadrados território nacional. 
Pensar o Soldado, aquilo que ele representa, o imaginário de suas ações, por si só, traduz a essência do militar. A vocação e o amor à profissão, o desprendimento, o heroísmo, a disponibilidade permanente e a dedicação exclusiva são características peculiares que ficam impregnadas em sua alma e o distinguem da sociedade como um todo. 
Nesse momento, inúmeros Soldados, no Brasil e no exterior, cumprem abnegadamente suas missões. Eles estão dispersos do norte ao sul, do leste ao oeste, no Haiti, em operações como as recentes que garantiram o brilho dos Jogos Rio 2016, seja como atletas, seja como sentinelas, ou garantindo a segurança da população do Rio Grande do Norte. Nosso povo, há muito os identifica como gente de confiança, séria e profissional. Gente do bem.
A vida do Soldado, simples e sacrificada, implica, sem ressalvas, o apoio incondicional e a dedicação irrestrita da família, que, como em nenhuma outra profissão, com ele, Soldado, vai desafiar as agruras e as incertezas das “terras novas”. 
Neste ano, em especial, prestamos justa homenagem aos familiares dos nossos Soldados, ao escolher Rosa da Fonseca como Patrona da Família Militar, data a ser celebrada no dia 18 de setembro, dia de seu aniversário. Ela que entregou, ao serviço da Pátria, sete de seus filhos, todos insignes personagens de nossa história, dentre eles o Marechal Deodoro da Fonseca, Proclamador da Republica e primeiro Presidente da Nação. 
Nestes tempos difíceis, em que os horizontes se apresentam nebulosos, a alma do Soldado Brasileiro persevera firme na crença dos valores e na convicção da grandeza dos ideais, cumprindo, sempre, seu papel constitucional em prol da Nação. 
Há, em todo brasileiro, esse espírito de grandeza, capaz de superar os obstáculos e vencer os maiores desafios. Jamais desistir! Foi o que demonstramos recentemente ao mundo. 
O Soldado Brasileiro nada mais é do que o povo de uniforme. Ele torce! Ele vibra! Ele sofre! Ele chora! É o homem cordial, é o cidadão dessa nova sociedade que emerge, buscando sempre, suas raízes, crenças e valores. Ele ilumina o futuro, que desejamos promissor. 
Viva Caxias! Viva o Soldado Brasileiro! 

Brasilia, DF, 25 de agosto de 2016 
General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas 
Comandante do Exército

Fonte: http://www.eb.mil.br/documents/16541/7263485/Ordem+do+Dia+do+Soldado+2016/8bb4f93b-47bb-4fbf-b7b4-5d02134758bf

- CVA DX CONTEST 2016


Escola de Comunicações do Exército (Escola Coronel Hygino Corsetti), tem suas origens no período pós 1ª Guerra Mundial, com a criação do Centro de Instrução de Transmissões, a 1º de julho de 1921. Hoje é comandada pelo Coronel Andrei Clauhs e mantém ritmo contínuo de realizações, acompanhando de perto a evolução das Comunicações no Exército e no resto do mundo. Integrada com o avanço da tecnologia, a EsCom cultiva e mantém sempre viva a história do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, patrono da Arma de Comunicações e tem como lema: "EsCom – Nova Sede, Mesmas Tradições".

O Concurso Verde e Amarelo (CVA DX CONTEST) é um concurso patrocinado pela Escola de Comunicações do Exército (EsCom). Sem dúvida, é considerado uma das mais importantes atividades radioamadorísticas do Brasil. Tradição e demonstração de proficiência ao longo de todos esses anos. O CVA   DX Conteste  é sempre realizado no terceiro final de semana de agosto para atividade de CW e quarto final de semana de agosto para atividade em SSB.

O CVA foi incorporado às comemorações da Semana do Soldado, por um Aviso Ministerial em 16 de junho de 1972, e tem como objetivos promover o congraçamento entre radioamadores e agremiações radioamadorísticas - civis e militares de todo o mundo - e entrosar radioamadores nas atividades comemorativas da Semana do Soldado, divulgando os eventos referentes aos 25 de agosto e a imagem do Duque de Caxias, patrono do Exército Brasileiro. 

Para maiores informações viste o site: http://www.cvadx.org/


 Amateur Radio Club of the School of Communications of the Brazilian Army
Official Organizer of the CVA DX Contest
PT2CVA - Director Station Contest

Por: PU3GAP - Amilton Passos