Foto da capa

Foto da capa

- Parabéns povo gaúcho, parabéns pelo 20 de setembro

Parabéns Povo Gaúcho. A Revolução Farroupilha é o mito fundante da cultura gaúcha. É a partir dela que se estabelece toda a identidade do povo gaúcho, com suas tradições e seus ideais de liberdade e igualdade. Hoje a cultura gaúcha é reverenciada não só no estado, mas no país e no mundo. E a cada 20 de Setembro, o gaúcho reafirma o orgulho de suas origens e o amor por sua terra.


- Tamâm? - Crônicas e Reflexões de um Brasileiro no Sudão.

1588048383Esta obra reúne 45 crônicas, que retratam, com bom humor e seriedade, o ambiente de guerra civil vivido pelo autor, entre os anos de 2008 e 2009, quando desempenhava a função de Observador Militar das Nações Unidas no Sudão, antes da divisão do País, em Sudão e Sudão do Sul, que veio a ocorrer em 2011. Após cada relato, o autor apresenta reflexões comparativas, entre o que viveu naqueles dias de horror e os cenários apresentados pelo Brasil, momentos em que questiona por que a sociedade brasileira ainda não chegou aos patamares de um país desenvolvido. Ao final do livro, o autor apresenta as lições aprendidas durante a missão naquele país africano, bem como alinhava algumas respostas aos questionamentos feitos ao longo da obra, de maneira simples e elucidativa.


... ”Tamâm é uma obra simples, que reúne por meio de crônicas, os acontecimentos – pitorescos ou não – e também as dificuldades e reflexões por que passou este autor, quando desempenhava a função de observador Militar das Nações Unidas no Sudão, entre os anos de 2008 e 2009.

O tempo decorrido entre a realidade dos fatos e sua publicação permitiu boa maturação das ideias, sem que os ensinamentos perdessem atualidade.

O cenário é um país em guerra civil, àquela época, único, porém, hoje, dividido em Sudão e Sudão do Sul. As narrativas, neste livro descritas, abarcam fatos ocorridos nos territórios atualmente pertencentes aos dois países.

Esta senda tem um coração. O intuito do conteúdo de cada uma das páginas a seguir é revelar e tornar transparentes os sentimentos, emoções, angústias e aflições que rondam um ambiente de missões de paz, conduzidas sob a égide da Organização das Nações Unidas (ONU), bem como extrair lições aprendidas, que possam servir como objetos de reflexão crítica, sobretudo, acerca da necessidade de investimentos mais seriamente em educação no Brasil.

Oxalá as letras presentes nesta obra, e a energia que as une, possam despertar nos leitores a vontade entrópica de clamarem por reformas alquímicas em nosso sistema educacional, a fim de que tenhamos homens, mulheres e crianças livres dos grilhões da opressão e da ignorância política, cultural e intelectual, para que possamos caminhar certeiros em direção à consolidação de uma sociedade brasileira mais justa e perfeita, tal qual a descrita por Platão em sua obra “A República”.

Que possamos refletir criticamente sobre todas as mazelas que afetam nosso País, e que a via cardíaca, trilhada neste livro, desperte-nos a necessidade consciente de adotarmos o caminho da devoção e do serviço à humanidade em nossos estilos de vida.

Acredito, fielmente, que somente a educação e o serviço podem transformar os destinos do Brasil. Que a leitura dessas crônicas possam servir de instrumento para essa metamorfose brasílica urgente e necessária.

Tamâm? (Ok, tudo bem? – no dialeto falado em território sudanês)”.

Por Ândrei Clauhs (Autor)


Para adquirir acesse:

https://www.amazon.com.br/dp/B074YCFFRQ

- Entreguemos ao Senhor as lutas…

"... Um prato de sopa, em nome do Mestre, vale mais que centenas de palavras vazias, quando as palavras estão realmente vazias de compreensão e de amor. Entreguemos ao Senhor as lutas estéreis a que somos tantas vezes provocados e prossigamos, com Ele, no trabalho edificante do bem... "

Bezerra de Menezes e Chico Xavier. 

Lição 13: Trabalhando. Livro: Cura.

- VII Jornada de Estudos de História Militar

Rio de Janeiro – o Exmo Sr. Gen Bda Severino de Ramos Bento da Paixão, Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, convida para as atividade da VII Jornada de Estudos de História Militar, que será realizada  no dia 12 de setembro do corrente ano no Centro de Estudos e Pesquisas de História Militar do Exército (CEPHiMEx), no Espaço Cultural Palacete Laguna, Maracanã – RJ.

Convite VII JEHM

- A música militar e sua harmoniosa missão

Este artigo traz à reflexão o emprego da música militar na antiguidade e nos dias atuais. Os chamados "bandos de aventureiros" do Século IV, colocam-se, hoje, entre os principais instrumentos psicológicos no despertar das grandes massas. Tal poder deve ser levado a sério e utilizado nas operações militares, confirmando a citação do General Jonas Correia, em 1921: "A canção militar é um alimento para o espírito militar e estimulador da alma do soldado".
É sabido que a atuação da banda de música influencia, espontaneamente, todo o efetivo de uma unidade militar e, quando levada para além dos muros da caserna, causa admiração, provocando aplausos. Isto gera, nos bons patriotas, intenso desejo de ingresso na vida castrense. Quem de nós poderá afirmar que nunca se emocionou ao ver e ouvir uma banda de música executar hinos pátrios ou desfilar garbosa, despertando uma irresistível vontade de marchar ou cantar? É pura magia em forma de convite para avançar, como Napoleão Bonaparte afirmou: "Ponha uma banda de música na praça e o povo a seguirá para a festa ou para a guerra".
No passado, o músico militar era autodidata. Nos dias atuais, com a evolução e o aprimoramento profissional do Exército Brasileiro, em 2005, criou-se o Curso de Formação de Sargentos Músicos na Escola de Instrução Especializada (EsIE). Em 2011, o curso transferiu-se para a Escola de Sargentos de Logística (EsSLog) e, em 2015, passou a formar as primeiras mulheres musicistas, concluindo mais uma etapa evolutiva da Força. Nessa Escola, são formados também, os mestres de música, futuros regentes das bandas de musica e fanfarras do Exército, distribuídas pelo território brasileiro.
As obras musicais apresentadas pelas bandas e fanfarras seguem padrões modernos, abrangendo todas as camadas da sociedade e representando a música dos quatro cantos do Brasil. A formação primorosa e a aplicação desses músicos em diferentes atividades transformam-nos em artistas comparáveis aos das mais avançadas orquestras mundiais, verdadeiro espetáculo de sons.
O Exército de Caxias cultua valores, costumes e tradições, sendo um deles as bandas de música e fanfarras. Por essa razão, é necessária a pesquisa das origens dessas relíquias, a fim de bem aproveitá-las nos dias atuais e prepará-las para o futuro.
A banda de música militar é originária da fanfarra de Cavalaria, formada por instrumentos de metal dos grupos da época medieval, existindo registros em documentos da antiga Roma. Seu emprego nos batalhões e regimentos de todos os povos é uma constante. A formação e a divisão instrumental variam de acordo com as características de cada país e de cada exército, levando em consideração o real emprego.
É fundamental destacar que a evolução das bandas de música e das fanfarras está ligada diretamente ao desenvolvimento dos instrumentos musicais, alguns surgidos nos primórdios da humanidade. Na associação evolutiva, resultam inúmeras possibilidades técnicas, estruturais e sonoras, sabendo-se que, no Primeiro Milênio d.C., esses instrumentos passam a ter o emprego direcionado verdadeiramente para as atividades militares. Alguns soldados, até então guerreiros, são requisitados para atuar como instrumentistas numa nova estrutura militar intitulada "banda de música".
Diversos tipos de bandas de musica foram sendo organizados de acordo com a quantidade e a variedade dos instrumentos de cada época. Na Síria, em 1191, foram introduzidas as trombetas, para chamadas e anúncios. Já nos séculos seguintes, o fife (pífaro) e a caixa clara foram os líderes dos instrumentos da Infantaria. Os Cruzados, de volta da Terra Santa, trouxeram a riqueza dos instrumentos usados pela Guarda do Sultão da Turquia. Na França, entre os anos de 1645 e 1715, Luís XIV de Bourbon mandou aumentar o efetivo das bandas dos seus regimentos. Na Alemanha e na Rússia, também foram criadas bandas em cada regimento.
Nos primórdios do Século XVIII, os compositores começaram a criar temas militares e patrióticos. A partir de 1750, as bandas passaram a ter estruturas definidas e organizadas dentro das unidades e a realizar apresentações em praças públicas.
Quando Dom João VI desembarcou no Brasil, em 1808, trouxe consigo uma banda formada por nove músicos. Em Portugal, cada Regimento de Infantaria do Exército possuía essa formação, sendo alterada, em 1815, para 11 integrantes. Outro aumento expressivo foi na Inglaterra, quando a banda integrante da Royal Artillery passou de 12 para 38 instrumentos. A França mostrou interesse no aperfeiçoamento, formando, em 1845, uma banda oficial com 48 instrumentistas. A Suíça copiou o mesmo efetivo da Prússia, que era de 36. O Exército Brasileiro possui, atualmente, uma divisão para o número de integrantes nas bandas e fanfarras, tendo de 16 até 96 músicos.
Segundo o Professor Florêncio de Almeida Lima, em seu livro Elementos Fundamentais da Música, "as bandas de música são excelentes fatores de cultura artística e concorrem poderosamente para o desenvolvimento do bom gosto do povo".
Na Guerra da Tríplice Aliança, nossos "guerreiros dos sons" estavam presentes, derrotando por inteiro a banda de música do 40º Corpo de Linha do exército oponente. Já na campanha da Itália, também houve contribuição com ações musicais, num efetivo de 120 músicos, integrando parte da Força Expedicionária Brasileira, o que levou brasilidade musical aos nossos Pracinhas.
Sobre a banda de música, George Fielding Eliot, militar da Escola de Comando e Exército-Maior do Exército dos Estados Unidos, escritor e jornalista especializado em assuntos militares e navais, em publicação na edição brasileira de novembro de 1953, da Revista Military Review, afirma em A Alma do Exército: "As canções que toca e as palavras que as acompanham podem parecer muito afastadas do heroísmo ou da devoção, mas o seu poder mágico e estimulante pode levar a alma dos homens a compreender certas verdades de que suas mentes duvidariam. Mais do que isto, ninguém pode dizer ao certo onde vive a alma do batalhão, mas a expressão dessa alma é, na maioria das vezes, encontrada na banda".
Sem dúvida, o verdadeiro significado da missão musical das bandas e fanfarras militares, quer sejam do passado, quer do presente, é conduzir a cadência rumo aos objetivos colimados.
Na oportunidade em que a Rádio Verde-Oliva, do Centro de Comunicação Social do Exército, completa 15 anos no ar, com inúmeras e variadas atividades voltadas à cultura e ao entretenimento, destaco o programa semanal "Bandas e Fanfarras", que tem divulgado e preservado as tradições patrióticas e castrenses, por meio da arte musical militar, o que enaltece os valores do nosso Exército, bem como revela as ações e os projetos incentivadores dessa arte, aproximando a tropa e a sociedade.

WhatsApp Image 2017-07-31 at 18.02.00

Amilton Passos - 1º Ten QAO Mus - Regente
Escritor e Pesquisador da Arte Musical Militar
Autor da obra "A Alma da Tropa - Bandas de Música do Exército Brasileiro, da origem aos dias atuais" (Paris/2012).

Fonte: http://eblog.eb.mil.br/index.php/a-musica-militar-e-sua-harmoniosa-missao

- I Ciclo de Estudos de História Militar da Amazônia

Rio de Janeiro – O Exmo Sr. Gen Bda Severino de Ramos Bento da Paixão, Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, convida para o I Ciclo de Estudos de História Militar da Amazônia (I CEHMA) bem como lançamento de livros: "DESAFIANDO O RIO-MAR" e "RIVER OF DOUBT".
Venha participar!
  02 de Agosto de 2017
14h30min no Forte de Copacabana – RJ.
Contato: (021) 2519 5094
palestra 2017 08 02


- Sem Desfalecimentos

"E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido." Paulo (Gálatas, 6:9).

Há pessoas de singulares disposições em matéria de serviço espiritual.

Hoje creem, amanhã descreem.

Entregaram-se, ontem, às manifestações da fé; entretanto, porque alguém não se curou de uma enxaqueca, perdem hoje a confiança, penetrando o caminho largo da negação.

Iniciam a prática do bem, mas, se aparece um espinho de ingratidão dos semelhantes, proclamam a falência dos propósitos de bem-fazer.

São crianças que ensaiam aprendizado na escola da vida, distantes ainda da posição de discípulos do Mestre.

O exercício do amor verdadeiro não pode cansar o coração.

Quem ama em Cristo Jesus guarda confiança em Deus, é feliz na renúncia e sabe alimentar-se de esperança.

O mal extenua o espírito, mas o bem revigora sempre.

O aprendiz sincero do Evangelho, portanto, não se irrita nem conhece a derrota nas lutas edificantes, porque compreende o desânimo por perda de oportunidade.

Problemas da alma não se circunscrevem a questões de dias e semanas terrestres, nem podem viver condicionados a deficiências físicas. São problemas de vida, renovação e eternidade.

Não te canses, pois, de fazer o bem, convencido, todavia, de que a colheita, por tuas próprias mãos, depende de prosseguires no sacerdócio do amor, sem desfalecimentos.

Livro: Vinha de Luz - 82
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Fonte: http://www.geocities.ws/adamatti_rs

- QTC - 96 ANOS DA ESCOLA DE COMUNICAÇÕES DO EXÉRCITO

tabdlaescomA Escola de Comunicações do Exército (EsCom), completa nesta data 96 anos de atividades. Teve suas origens no período pós 1ª Guerra Mundial, com a criação do Centro de Instrução de Transmissões na data de 1º de julho de 1921. Naquela oportunidade, ocupou as instalações do 1º Batalhão de Engenharia, atual aquartelamento do Batalhão Escola de Comunicações (BEsCom) no Rio de Janeiro.

Seu primeiro comandante foi o Tenente Paulo Mac Cord, não imaginando que aquele pioneirismo em preparar telefonistas, radiotelegrafistas e sinaleiros se tornaria o berço para o surgimento da “Arma de Comunicações”.

Em 1926, desvinculou-se do Batalhão de Engenharia e passou a operar junto a Escola das Armas, atual Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO), vindo a receber em 1º de abril de 1935 a sua sede própria, na Avenida Duque de Caxias nº 325 na cidade maravilhosa, o Rio de Janeiro. No ano seguinte, em 29 de fevereiro de 1936, passou a denominar-se Curso Especial de Transmissões e, a 17 de abril de 1940, Escola de Transmissões.

A deflagração da II Guerra Mundial e a entrada do Brasil naquele conflito acarretaram profundas modificações na Escola. O material então existente foi substituído por outro mais moderno e o quadro de instrutores adaptado às novas condições do ensino, preparando os militares que se tornariam imprescindíveis à coordenação e ao controle das ações vitoriosas da 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária, nos campos de batalha da Itália.

A denominação de Escola de Comunicações (EsCom) foi instituída por ato do Poder Executivo em 1º de julho de 1953. Em 1956, por reconhecimento a sua competência e destacada participação junto ao Exército e à sociedade brasileira, teve sua Bandeira Nacional agraciada com a Ordem do Mérito Militar, honrosamente recebida pelas mãos do então Presidente Juscelino Kubitscheck de Oliveira. Em 5 de maio de 1975, o estandarte teve a honra de ser incorporado ao patrimônio histórico-cultural da Escola.

A Escola foi responsável pela formação do Sargento Combatente de Comunicações até o ano de 1979, quando nesta data o curso foi transferido para a Escola de Sargentos das Armas (EsSA). Permaneceu ainda com a missão de formar e aperfeiçoar Sargentos de Manutenção de Comunicações até o ano de 2009, quando foi criada a Escola de Sargentos de Logística e esta passou a ministrar os referidos cursos. A Escola de Comunicações, acompanhando a nova tendência na área de Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC), aprimorou seus conhecimentos, capacitou seus instrutores para poder oferecer cursos de extensão e especialização para militares nas áreas das Comunicações, Eletrônica e Informática e, ainda, contribuir para a formulação da doutrina militar específica.

Em 19 de maio de 2006, foi concedida, por meio da Portaria Nº 254, de 12 de maio de 2006, do Comandante do Exército, a denominação histórica “Escola Coronel Hygino Corsetti”, sendo uma justa homenagem aquele que tanto influenciou o desenvolvimento da Arma de Comunicações e das  telecomunicações brasileiras como ministro das Comunicações no governo Emílio Garrastazu Médici e antigo comandante da Escola de Comunicações.

Em Brasília iniciou suas atividades nas instalações do Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército em 10 de março de 2010, após a publicação da Portaria do Comandante do Exército. Não tardou para identificar a necessária adaptação das instalações, iniciando em 21 de janeiro de 2011 a construção da sua nova e moderna sede no Planalto Central.

Atualmente, este Estabelecimento de Ensino está subordinado ao Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército (CCOMGEX) e vinculado à Diretoria de Educação Técnica Militar (DETMil) para fins de orientação técnico-pedagógica.

A Escola Coronel Hygino Corseti mantém ativa as atividades de radioamadorismo coordenadas pelo Clube de Radioamadores da Escola de Comunicações (CRAEC), destacando entre outras atividades o Concurso CVA DX CONTEST. Já com 57 edições incorporadas às comemorações da Semana do Soldado, é sem dúvida uma das mais importantes atividades radioamadorísticas do Brasil, o que implica em tradição e demonstração de proficiência ao longo de todos esses anos.

A Escola possui um ritmo contínuo de atividades, acompanhando de perto a evolução das Comunicações no Exército e de outras nações. Além da preocupação de estar sempre integrada com o avanço da tecnologia, a Escola cultiva e mantém sempre viva a história do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, patrono da Arma de Comunicações. Da mesma forma, o CRAEC engajado nas atividades, tem por objetivos promover o congraçamento entre radioamadores e agremiações radioamadorísticas civis e militares de todo o mundo.

Recebam nosso fraternal abraço a todos os radiamadores, agradecendo nesta oportunidade pelo salutar convívio com nossa Escola, onde estamos sempre de braços aberto para receber vossas visitas.

Brasilia-DF, 30 de Junho de 2017.

Cel Ândrei Clauhs – Comandante da EsCom

Cap Daniel Moura Felix Cardoso – PT2FC – Presidente do CRAEC

CRAEC – PT2CVA

- Feliz Solstício!

Hoje, 21 de junho (01h24min) no hemisfério sul, o Sol incidiu no ponto mais inclinado da Terra e será o dia mais curto e a noite mais longa do ano. É o Solstício de Inverno que inicia.

As árvores se despedem das folhas e o solo as transforma em adubo. Como parte da Natureza, pra nós também é hora de limpar, transformar em adubo aquilo que já serviu e não nos serve mais, abrindo assim novos espaços na vida.

Com reverência e intenção, abra seus armários, da cozinha, do quarto, do coração, e tire tudo que é velho. Devolva a semente para terra. Abra espaços para aguardar o novo da próxima estação. Renove, Recicle, doe e espere. Inverno é tempo de espera, de tolerância, de observação, de cultuar o silêncio com sabedoria.

Lembre-se: "Ouça com paciência e fale somente para ajudar”

Bom dia e um Feliz Solstício!

Fonte: Pesquisa Web

- Recanto de Paz

Existe, dentro de cada um de nós, um lugar de paz inalterável, onde reina a alegria sem mescla.

Filhos que somos de Deus todo amor, o Pai implantou no nosso intimo a semente da ventura e da paz duradoura, que nos cumpre desenvolver.

Em geral, buscamos alhures recantos amenos na natureza amiga, ou em sítios outros, na ânsia de refazermos as energias em exaustão.

Muito embora tais ambientes possam ser úteis no processo de reequilíbrio do corpo e da mente, apenas encontramos a paz desejada se ela já existe no imo do nosso ser.

Antes de tudo, procura esse recanto de paz que está dentro de ti, reclamando somente a boa vontade das tuas buscas.

Desfaze-te dos anseios humanos que não estejam fundamentados no sentimento do amor sem as maculas do egoísmo.

Cultiva pensamentos elevados, sob a inspiração da fé, da caridade, da esperança, da solidariedade, porque este é o caminho para o encontro com a paz, refazendo-te dos embates necessários da existência.

Volve os pensamentos para os recursos que jazem depositados no teu intimo, esperando pelos teus esforços para se desenvolverem como instrumentos seguros da felicidade e da paz.

Fonte: Livro Bilhetes Fraternais (SODEC - Págs 46/47).

- XIX Encontro de Coros Espíritas do DF

Dia 28 de maio 2017, será realizado o XIX Encontro de Coros Espíritas do DF.

Com o tema “Na Direção do Amor” o evento será realizado no Centro Espírita Fraternidade Allan Kardec – CEFAK, localizado na Área Especial nº 7, setor D Sul, Taguatinga/DF e terá início às 15h.

Para informações: www.fedf.org.br

- 7º Encontro de Carros Antigos do CMVM

Aos amigos do CVMARJ, bom dia!

Recomendo esse evento, que vem em cada edição, se tornando melhor.

Vamos teu um espaço especial para viaturas militares antigas, então vamos com o maior efetivo possível.

Evento constará das atividades de junho de 2017!

Dia 25 de junho, domingo - 8h as 16h.

 

ENTRADA FRANCA!

 

CVMARJ, MAIS VIVO DO QUE NUNCA!

Abs. Sérgio Capella.

RP-CVMARJ.

964863933

WhatsApp Image 2017-05-08 at 14.45.48

- ORAÇÃO AO CÉU DO BRASIL - Pedro D´Alcântara

Céu do Brasil, da glória em que te estrelas,
Na mensagem de paz ao mundo inteiro,
Guarda os astros sublimes do Cruzeiro
Por nossas avançadas sentinelas.

Recebe as nossas súplicas singelas
E derrama no solo brasileiro
As bênçãos do Divino Timoneiro,
Das quais, ditoso e lindo, te constelas!...

Faze da terra que nos abençoa
Florão de amor e rútila coroa
Para o trono do bem, puro e fecundo;

E faze-nos, no imenso campo humano,
Servidores do Cristo Soberano
No iluminado Coração do Mundo.

(Psicografia de Francisco C. Xavier – Pág 59 da obra Poetas Redivivos)

- Vocal Livre - Autor da Vida (Clipe Oficial)

Deixe o autor da vida escrever a sua história!
Produção: Núcleo Produtora
Apoio: Unasp Engenheiro Coelho
Fonte: YouTube

- Jogo da Baleia Azul e a Epidemia de Suicídios - Divaldo Franco.

Com caráter epidêmico, o suicídio alcança índices surpreendentes na estatística dos óbitos terrestres, havendo ultrapassado o número daqueles que desencarnam vitimados pela AIDS.

A ciência, aliada à tecnologia, tem facultado incontáveis benefícios à criatura humana, mas não conseguiu dar-lhe segurança emocional.

Em alguns casos, a comunicação virtual tem estimulado pessoas portadoras de problemas psicológicos e psiquiátricos a fugirem pela porta abissal do autocídio, como se isso solucionasse a dificuldade momentânea que as aturde.

Por outro lado, sites danosos estimulam o terrível comportamento, especialmente entre os jovens ainda imaturos, que não tiveram oportunidade de experienciar a existência. De um lado, as promessas de felicidade, confundidas com os gozos sensoriais, dão à vida um colorido que não existe e propõem usufruir-se do prazer até a exaustão, como se a Terra fosse uma ilha de fantasia. Embalados pelos muito bem feitos estimulantes de fuga da realidade, quando as pessoas dão-se conta da realidade, frustram-se e amarguram-se, permitindo-se a instalação da revolta ou da depressão, tombando no trágico desar.

Recentemente a Mídia apresentou uma nova técnica de autodestruição, no denominado clube da baleia azul, no qual os candidatos devem expor a vida em esportes radicais ou situações perigosíssimas, a fim de demonstrarem força e valor, culminando no suicídio. Se, por acaso, na experiência tormentosa há um momento de lucidez e o indivíduo resolve parar é ameaçado pela quadrilha de ter a vida exterminada ou algum membro da sua família pagará pela sua desistência.

O uso exagerado de drogas alucinógenas, a liberdade sexual exaustiva e as desarrazoadas buscas do poder transitório conduzem à contínua insatisfação e angústia, sendo fator preponderantes para a covarde conduta.

O suicídio é um filho espúrio do materialismo, por demonstrar que o sentido da vida é o gozo e que, após, tudo retorna ao caos do princípio.

É muito lamentável esse trágico fenômeno humano, tendo-se em vista a grandeza da vida em si mesma, as oportunidades excelentes de desenvolvimento do amor e da criação de um mundo cada vez melhor.

Ao observar-se, porém, a indiferença de muitos pais em relação à prole, a ausência de educação condigna e os exemplos de edificação humana, defronta-se, inevitavelmente, a deplorável situação em que estertora a sociedade.

Todo exemplo deve ser feito para a preservação do significado existencial, trabalhando-se contra a ilusão que domina a sociedade e trabalhando-se pelo fortalecimento dos laços de família, pela solidariedade e pela vivência do amor, que são antídotos eficazes ao cruel inimigo da vida – o suicídio!

Por Divaldo Franco.

Fonte: Jornal A Tarde, coluna Opinião, em 20-04-2017.

- Linda Mensagem Psicografada de Irmã Dulce

Meus queridos filhos!
Maravilhosa Luz, que incendeia os corações das pessoas que seguem no Bem, servem no Amor e são Caridosas. A generosa bondade de Deus, traz a alegria aos corações, a Luz nos Caminhos, a Verdade para as mentes. Seu Amor rebrilha em cada um dos irmãos que se colocam com humildade em Suas Santas Mãos.
Que sempre seja iluminado o caminho de vocês, que permaneçam na conduta do Bem, que sempre ofereçam além do necessário para o corpo, o mais importante e essencial, o necessário para a Alma.
Sofrem os filhos que se afastam do Pai, sofrem os filhos que, pelas tribulações da vida na carne, se voltam contra nosso Amado Pai.
Temos que, principalmente, ter aceitação do nosso caminho, aceitação das coisas que nos sucedem na existência da carne, elas nos pertencem, e o Pai, na sua bondade, permite vivenciarmos essas situações, para podermos nos redimir em Seu Amor, para podermos buscar a nós mesmos.
Por mais que os fatos dessa vida de vocês pareçam sem um sentido mais claro, entendam, meus filhos, que tudo se passa a contento do Pai.
Não que Ele permita que soframos as agruras das existências, mas sim, Ele permite termos a liberdade para escolher qual caminho seguir. Mas essa liberdade chega carregada de responsabilidade e consequências, sendo, todos nós, os criadores de nossas próprias aflições.
Fiquem com Deus, no Amor de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Irmã Dulce
Fonte: Grupo Socorrista Obreiros do Senhor Jerônimo Mendonça Ribeiro

- Pétalas de Amor

Hoje no "Espaço do Convidado", minha afilhada Carolina apresenta seu novo tema: “Pétalas de Amor”. Boa leitura.
PÉTALAS DE AMOR

Carolina B. Davidson 
Biomedicina UNIFRA - III Semestre/17

Desde os tempos primitivos em que o ser humano passou a viver em comunidades, durante sua trajetória para o seu aprimoramento moral e intelectual, o homem iniciou as suas aquisições de espiritualidade pautadas no amor, na fraternidade e na solidariedade para com o outro.
O sentimento de gratidão e amor ao próximo podem ser expressados por pequenos gestos ou palavras dirigidas àqueles que se encontram em dores e sofrimentos ou passando por vicissitudes no cotidiano.
A palavra de carinho conforta, o amor fortalece os laços, o trabalho assistencial edifica, a caridade enriquece nos projetando a caminho da luz e do equilíbrio que todos devemos buscar objetivando a renovação íntima.
Madre Tereza de Calcutá é o exemplo do amor materializado e da humildade na sua forma mais pura, que abriu mão de todo o seu conforto e de sua vida para doar-se em prol dos mais pobres seres humanos que viviam em condições de extrema miséria na Índia.
Devemos caminhar deixando rastros de luz por onde passamos, assim como Jesus Cristo nos ensinou, plantando no jardim da vida as sementes de benevolência, para que floresçam as mais lindas flores espalhando por toda a humanidade sua beleza em forma de pétalas de amor.
Carolina B. Davidson

- Pra Sonhar (Marcelo Jeneci)

Produção: Mimos de Amor Photography / Memórias Filme.
Direção: Grazielle Silva.
Cinegrafistas: Amanda Kadobayashi, Liziane Possmoser e Zildomar Possmoser.
Edição: Liziane Possmoser.
Música: Pra Sonhar
Composição: Marcelo Jeneci
Intérprete: Larissa Muniz | Jefté Salles
Licença padrão do Youtube

- Palestra de Cláudio Murilo Leal em homenagem a poetisa Marita Vinelli.

Prezado/a  Escritor/a. Ao cumprimentá-lo/a, peço-lhe o favor de divulgar evento da SOCIEDADE EÇA DE QUEIRÓZ, no dia 18 de Março - próximo sábado, às 13horas, ocasião em que falará o Professor CLÁUDIO MURILO LEAL,seguido de uma homenagem a poetisa MARITA VINELLI.

Contando com sua habitual solicitude e empenho, receba um abraço amigo do Braulio Maciel, presidente Sociedade Eça de Queiroz

convite EÇA MARÇO 2017

- Palestra “Marechal Castelo Branco: Vida e legado de um patriota.

Rio de Janeiro – Acontecerá no próximo dia 21 Mar 2017 a palestra: “Marechal Castelo Branco – Vida e legado de um patriota, proferida pelo Prof. Guilherme Antônio Dias Ferreira, pesquisador associado do Centro de Estudos e Pesquisas de História Militar do Exército (CEPHiMEx) e membro do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil (IGHMB).

Local: Casa Histórica de Deodoro

Praça da República, 197 / Centro – Rio de Janeiro – RJ

Horário: 14h30min

Maiores informações: (21) 2232 2691 ou ighmb@yahoo.com.br

unnamed (1)

- A Terapia do Amor

O amor continua sendo, filhos da alma, a receita que temos a oferecer àqueles que buscam o socorro espiritual para as suas problemáticas de saúde.

 

Por isso, podemos afirmar que:

O amor acalma e dissolve as tensões.

O amor alegra e tonifica o coração.

O amor vitaliza e fortalece as células de defesa do organismo.

O amor traz a esperança e recupera as células esgotadas.

 

Somente o amor dá sentido à vida e faz com que aquele que ama tenha fortes razões para continuar vivendo através da alegria em servir ao próximo.

 

Recordemos as sábias palavras de Paulo, em sua carta aos Coríntios: “O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”.

 

Que excelente terapia temos às mãos, filhos, através das palavras paulinas, adequadas para todos os problemas diários. Perseveremos no tratamento com os abnegados médicos da Terra e não nos esqueçamos também de nos tratar com Jesus, através da terapia do amor que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta e tudo vence.

 

Médium: José Carlos De Lucca.

Da obra: "Recados do meu Coração”.

Pelo Espírito Bezerra de Menezes.

- Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí volta a se apresentar em 23/Mar/17.

A Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí - equipamento do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria da Cultura do Estado - volta ao palco do Teatro Procópio Ferreira (rua São Bento, 415, em Tatuí) no dia 23 de março, quinta-feira, às 20h. Os ingressos já estão disponíveis na bilheteria do teatro, ao custo de 12 reais (6 reais para estudantes, professores da rede estadual, idosos, aposentados e crianças).
No repertório do segundo concerto da temporada de 2017, o regente Dario Sotelo enaltece o foco escolhido para as apresentações do conjunto ao longo deste ano. "Em 2017 a Banda Sinfônica adota uma programação centrada no tema 'Música que Dança'", explica o maestro, que selecionou quatro obras para o concerto do dia 23 de março.
A abertura será com a obra "Ecstatic Fanfare", do compositor norte-americano Steve Bryant. A música "Do Coração e da Alma", do paulista Hudson Nogueira, dá sequência ao concerto. Sotelo descreve a composição como "um grande choro sinfônico", que representa muito bem o foco adotado pela Banda Sinfônica. A obra faz parte de um CD gravado pela Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí em 2004, justamente com o título "Do Coração e da Alma - Obras de Hudson Nogueira".
Em "Gaian Visions", a terceira apresentação da noite, o compositor norte-americano Frank Ticheli faz referência a Gaia, deusa grega da natureza ("mãe-terra"), para apresentar diferentes visões sobre a Terra. "É por isso uma obra bastante atual", comenta o maestro.
O encerramento do concerto é com "Egmont - Symphonic Poem", do compositor belga Bert Appermont. Conforme Sotelo, trata-se de um poema sinfônico. "É uma obra que reúne diferentes influências culturais, pois foi inspirada em uma cidade no norte da Europa, invadida por espanhóis", descreve.

Apoio Cultural - No ano de 2017, o Conservatório de Tatuí orgulha-se em receber apoio cultural da Coop e CCR SPVias.
Fotos: disponíveis em
https://goo.gl/i7IYtf
Créditos: Paulo Rogério Ribeiro/Conservatório de Tatuí

SERVIÇO - Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí
Dario Sotelo, regente

Data: 23 de março de 2017 - quinta-feira
Horário: 20h
Local: Teatro Procópio Ferreira - Rua São Bento, 808 - Tatuí
Ingressos: 12 reais (6 reais meia entrada)
Informações: (15) 3205-8444.

Fonte: http://www.conservatoriodetatui.org.br/

- Palestra “A História do IGHMB”

Rio – Acontecerá no próximo dia 14 Mar 2017 a palestra: “A História do IGHMB, proferida pelo Sr. General de Brigada Marcio Tadeu Bettega Bergo, Presidente do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil.

Local: Casa Histórica de Deodoro

Praça da República, 197 / Centro – Rio de Janeiro – RJ

Horário: 14h30min

Maiores informações: (21) 2232 2691 ou ighmb@yahoo.com.br

unnamed

- Nunca é tarde.

Nunca é tarde para pensar na vida, procurar uma saída, erguer as mãos caídas, recomeçar...
Nunca é tarde para levantar os olhos, andar de cabeça erguida, contemplar um novo horizonte, sonhar...
Nunca é tarde para estender a mão amiga para tirar alguém da briga que luta contra a solidão, nunca é tarde para ouvir a voz da razão seguir
a ordem do coração e viver com gratidão...
Nunca é tarde para saciar a fome ao dividir o pão, ser luz para alguém sair da escuridão, caminhar de mãos dadas sentindo a emoção de haver feito o bem para um irmão...
Nunca é tarde para rever os amigos, ajudar os aflitos, resolver os conflitos no diálogo e não aos gritos, ser vencedor e não vencido pois tudo é belo mais que bonito...
Nunca é tarde para mudar os planos, recuperar o ânimo, caminhar juntos, rever os enganos, enfrentar as barreiras dos anos e no final ainda dizer te amo...
Nunca é tarde para dizer sim para vida, para dizer perdão querida, dizer não ao ego enxugar uma lágrima para curar um ferida...
Nunca é tarde para mudar de gesto, de atitude e de pensamento para ser feliz, deixar o protesto, sentir a liberdade numa prece...
Nunca é tarde para dar um basta na amargura, refazer a postura, deixar a vida dura, encontrar a esperança que ficou perdida, viver a paz que é sem medida...
Nunca é tarde para abraçar um filho, sentir o seu amor, orientar seus caminhos para jamais andar sozinho e deixar de ser menino em sua vida escolhida...
Nunca é tarde para dizer que não sei, reconhecer que errei e que tanto tempo passei a me enganar, e por causa da alma ferida nunca encontrei a saída que me impedia de caminhar...
Nunca é tarde para sorrir, agradecer a Deus pela vida, viver a realidade de um novo dia, aprender o que não sabia, fazer o que não fazia e ensinar o que vivia...
Nunca é tarde para fazer o bem, ser amigo de alguém, ajudar a quem não tem, dizer sempre o que convém, respeitar não ir além, viver sempre amando alguém...
Nunca é tarde para ver Deus na natureza, ser ativo na igreja, dizer amém, assim seja, dar um basta na tristeza, estar em paz com todos, ser feliz e que Deus nos proteja...
Nunca é tarde para sair da rotina, aprender com disciplina, não desistir,
dar a volta por cima, depender sempre de Deus, crer no que Ele nos ensina, ser feliz é nossa sina...

Autor desconhecido

Fonte: Mensagem  Espírita - http://www.mensagemespirita.com.br/md/ad/nunca-e-tarde

- Seguindo em Frente - Chico Xavier/André Luiz

Seja qual seja o seu problema, conserve fé em Deus e fé em você mesmo, sem desistir de trabalhar.
Ninguém progride sem dificuldade a vencer.
A luta é condição para a vitória.
Não abandone os seus encargos no bem.
Não perca tempo, lembrando episódios tristes.
Desculpe qualquer ofensa.
Esqueça ressentimentos, venham de onde vierem.
Auxilie aos outros, como puder e tanto quanto puder, no clima da consciência tranquila.
Não procure defeitos nos semelhantes.
Se você está num momento, considerado talvez, como sendo o pior de sua vida, siga adiante, com o seu trabalho, na certeza de que se hoje o céu aparece toldado de nuvens, a luz voltará no firmamento e o dia de amanhã será melhor.

André Luiz - Livro: “Tempo de Luz”

- Moto Honda, cai ou não cai? Conheça Honda CES 2017

Pronto para conhecer a novidade da Honda? 
Uma surpresa que em pouco tempo multiplicará o numero de motociclistas. 
A Honda CES 2017 não cai e vai incluir aqueles simpatizantes que nunca pilotaram com medo de quedas. 
A novidade foi desenvolvida sobre a base da NC 750 A, com a tecnologia que a permite ficar equilibrada sem o pesinho ou mesmo sem o piloto sobre ela. 
Outra tecnologia incorporada a CES 2017 é o fato de o piloto poder rebaixar a altura da motocicleta aumentando ou diminuindo o entre-eixo e do ângulo de cáster de forma automática no momento que desejar. 
Então é isto, um presente para quem tinha medo. Honda CES 2017.