Foto da capa

Foto da capa

- Palestra: Os 300 de Esparta

Rio de Janeiro - Como parte do Ciclo de Palestra "De Olhos e Ouvidos na História" do Centro de Estudos e Pesquisas de História Militar do Exército (CEPHiMEx), o Coronel de Infantaria Carlos Alberto Naccer, apresenta sua palestra com o titulo: Os 300 de Esparta.
Data: 23 de Outubro de 2014 às 14h
Loca: Espaço Cultural Laguna (CEPHiMEx) localizado na rua General Canabarro, 731 Maracanã.
Vale apena conferir.


- Amar é...


Amar é olhar para dentro de si mesmo, e dizer:
Eu quero
É viver intensamente
É sonhar com uma gota de realidade
e realizar uma gota desse sonho
É estar presente até na ausência.

Amar é ter em quem pensar
É razão que ninguém teria razão para nos tirar
É ser só de alguém e nunca deixar esse alguém só
É pensar em você tão alto a ponto de você escutar
Amar é ir até a morte
É acordar para a realidade do sonho
É vencer através do silêncio
É ser feliz até com um pouco quando muito não é bastante.

Amar é dar anistia ao seu coração
É sonhar o sonho de quem sonha com você
É sentir saudades
É chegar perto na distância.

Amar é a força da razão
É quando os momentos são eternos.

Amar é ser adulto e se sentir criança
É viver a vida em versos e ao inverso
É a maior experiência na vida de um homem...

Mas acima de tudo,
Amar é crer em Deus porque Deus é amor.
E você é tudo que um dia eu pedi pra mim.

Autor desconhecido
Fonte: http://www.mensagemespirita.com.br/md/ad/amar-e


- Viver não dói - Carlos Drummond de Andrade

       Definitivo, como tudo o que é simples.
     Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
     Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.
     Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.
     Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.
     Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
     Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
     Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
     Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!!!
     A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
     A dor é inevitável.
     O sofrimento é opcional.
                                                                                        Carlos Drummond de Andrade

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Mensagem Espírita <contato@mensagemespirita.com.br>
Data: 3 de outubro de 2014 07:36
Assunto: Viver Não Dói - Carlos Drummond de Andrade

- Coletânea ELOS LITERÁRIOS II

     Caro artista da literatura.

     A Coletânea ELOS LITERÁRIOS alcançou participações além do previsto.

     Motivados por este sucesso e atendendo às solicitações dos escritores, tanto os que dela participaram, quanto os que só tomaram conhecimento a posteriori,estamos lançando, com muita alegria, sob a coordenação da Promotora Cultural Pérola Bensabath, a Coletânea ELOS LITERÁRIOS II.

     Estamos iniciando a recepção dos textos, que deverão ser enviados para o e-mail miltonjpantaleao@gmail.com ou, os que assim preferirem, poderão envia-los para o seguinte endereço: Milton J Pantaleão, Rua Passo da Pátria 540 / 502 Porto Alegre – RS - CEP 90.460-060.

     Os textos, poesias, contos e crônicas, são de tema livre e não há necessidade de serem inéditos.

     O preço por página ocupada é de R$75,00 (formato 16x23) com direito a dois exemplares por página. O valor poderá ser depositado até o dia 20 de dezembro de 2014, no Banco Bradesco, agência 821-4, conta corrente 1509-1, Milton J Pantaleão, CPF 002.273.404-00. Exemplares extras serão vendidos a R$15,00, desde que previamente

encomendados.

     Ficaremos gratificados com sua participação e confiança no nosso trabalho cultural e, outra vez, marcaremos em prosa e verso o nosso escrever no contexto literário.

     Cordialmente,

     ELOS LITERÁRIOS

     Pérola Bensabath - Coordenadora

     Milton J Pantaleão - Editora Alternativa

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Pérola Bensabath <perolabensabath@hotmail.com>
Data: 3 de outubro de 2014 09:07
Assunto: Coletânea ELOS LITERÁRIOS II

- Sempre com Deus.


Lembra-te de Deus para que saibas agradecer os talentos da vida.
Se te encontras cansado, pensa Nele, o Eterno Pai que jamais descansa. Como nos ensinou o próprio Jesus, o Pai trabalha constantemente.
Se te encontras triste, eleva a Deus os teus sentimentos, meditando na alegria solar com que, todas as manhãs, a Infinita Bondade do Pai dissolve as trevas, anunciando um dia novo de oportunidades.
Se estás doente pensa em como Deus, na Sua compaixão e equilíbrio, reajusta os quadros da natureza. Pensa em como, após a tempestade, que arranca árvores centenárias e destrói montanhas, tudo se asserena.
Se te sentes incompreendido, ainda assim volta-te para Deus. Ele, o Eterno Doador de todas as bênçãos, quantas vezes é incompreendido pelas criaturas que criou e sustenta. Mesmo assim, a Sua paciência inesgotável não desanima, aguardando que nos decidamos por abandonar nossas imperfeições.
Se te sentes humilhado, entrega a Deus as dores da tua sensibilidade ferida ou do orgulho menosprezado, refletindo no anonimato com que Ele esconde a Sua imensa grandeza, servindo-nos todos os dias.
Se te sentes sozinho, busca a companhia sublime de Deus na pessoa daqueles que seguem na retaguarda, cambaleantes de sofrimento.
Os mais solitários que tu mesmo, que se encontram em provações mais difíceis que as tuas. Procura aqueles que a miséria encara todas as horas e necessitam da tua ajuda para matar a fome, a sede, acalmar a dor.
Sai de ti mesmo e procura-os. Eles se encontram nas favelas, nas praças, nos hospitais, nos asilos, nas prisões. Talvez, ao teu lado, nos familiares que te esperam um gesto de carinho, uma palavra amiga, um pouco de atenção.
Se estás aflito, confia a Deus as tuas ansiedades. Fala-Lhe de tudo aquilo que te vai na intimidade e Nele, que é o Amor, todas as tuas tormentas haverão de se acalmar.
Enfim, seja qual for a dificuldade, recorda o Todo Misericordioso que não nos esquece.
Na oração haverás de encontrar a força a fim de te ergueres e superares os problemas, pequenos ou grandes que te estejam a supliciar.
Na oração, que é rota de luz, não haverá de te faltar o ânimo para enfrentar mais este dia, com coragem, bom ânimo e alegria, porque, afinal de contas, dia como este nunca houve e nem haverá igual.

Na vida, auxilia quanto puderes. 
Faze o bem sem olhar a quem.
Imagina que és o lavrador e o teu próximo é o campo.
Tu plantas e o outro produz. Tu és o celeiro, o outro é o cliente.
Se desejas seguir para Deus, pensa que entre Deus e tu mesmo, o próximo é a ponte.
O Criador atende às criaturas através das criaturas.
Por isso mesmo, é preciso viver e servir.

Fonte: Redação do Momento Espírita 
http://www.mensagemespirita.com.br/mensagem-em-audio/83/sempre-com-deus