Foto da capa

Foto da capa

- A Alma da Tropa (L'âme de la Troupe)

     Capa - AADT Caros Amigos e Amigas.
     Como fonte de pesquisa ou apenas conhecimento, a obra "A Alma da Tropa: Bandas de Música do Exército Brasileiro, da origem aos dias atuais", apresenta um registro histórico sobre a origem, as diversas formações e os múltiplos empregos das bandas de música do Exército Brasileiro, como um dos principais elementos da comunicação social entre as Forças Armadas e a população civil.
     Dividida em três capítulos, aborda a História da Música Universal, a Origem e a Evolução das Bandas de Música Militares e, as Bandas de Música do Exército Brasileiro.
São mais de 300 páginas de história, entre texto e um álbum com mais de 200 imagens que ilustram esta viagem ao passado.
     Assim, convido o leitor a descobrir a verdadeira importância cultural de uma banda de música militar, muito mais do que fardada e alinhada, a verdadeira "A Alma da Tropa".
     Editada, impressa e lançada pela Divine Édition e Yvelinédition no Salão de Livro de Paris 2012, a obra será comercializada no Brasil diretamente com o seu autor.
     Aos que desejarem maiores informações, entrem em contato pelo email: amiltonpassos@gmail.com

- Laboratório de Estudos sobre Militares (CPDOC/FGV)

149364_4004949365667_1339134270_33477448_2085457971_n

- Curso de Meteorologia para Jornalistas - 28 a 31 de Maio de 2012

http://cursos.cptec.inpe.br/meteorologia-jornalistas-2012/
As aulas do curso do Curso de Meteorologia para Jornalistas, serão ministradas à distância, de forma interativa e em tempo real, utilizando a Rede Nacional de Pesquisa e Ensino (RNP).
O aumento da ocorrência de eventos meteorológicos extremos sobre o planeta é percebido por toda a população, como consequência, cada vez mais os veículos de comunicação aumentam o espaço e o tempo para noticiar tais eventos e também divulgar a previsão de tempo e de clima com mais detalhes.
O objetivo do curso é difundir o conhecimento sobre as técnicas utilizadas em previsão de tempo e clima e, capacitar profissionais de jornalismo para a interpretação das informações meteorológicas de forma a transmitir ao público geral, de maneira clara e precisa.
As aulas do curso serão ministradas pelos pesquisadores e meteorologistas da Divisão de Operações do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto Nacional de Pesquisas  Espaciais (INPE).
Fonte, imagem e informações:  

- IV Ciclo de Palestras de História Militar.

Rio de Janeiro - A Diretoria de Patrimônio Histórico Cultural do Exército - DPHCEX - realizará no dia 24/05 às 15:00h, uma palestra com o tema "O Serviço Militar Obrigatório na Visão de Olavo Bilac", proferida pela Srª Mirian Kátia Perolia (LDN).
Local: Centro de Estudos e Pesquisas de História Militar do Exército
Palacete Laguna - Rua General Canabarro, nº 731, Maracanã

- Turismo Cultural no Bairro Imperial de São Cristóvão

turismo
Rio de Janeiro-RJ -  O Turismo Cultural no Bairro Imperial de São Cristóvão é uma iniciativa dos Museus e Instituições culturais da região em parceria com a Câmara Comunitária de São Cristóvão.
Sempre em um final de semana de maio, o evento se integra às atividades da Semana Nacional de Museus, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) em todo o país e chega a receber cerca de 30 mil pessoas a cada edição.
Integrando o projeto de revitalização de São Cristóvão, o Turismo Cultural oferece uma autêntica viagem pela História, Ciência e Cultura da cidade!
Anote ai: Dias 19 e 20 de Maio de 2012, das 10 às 16h.
Para saber a programação, roteiro e outros informações, acesse: http://www.museunacional.ufrj.br/turismocultural/

- Estudo associa antena de celular a incidência de câncer.

Tese de doutorado da engenheira Adilza Condessa Dode defendida na UFMG, no final de março, revela que há fortes evidências entre mortes por câncer e localização de antenas de celulares em Belo Horizonte. A pesquisa confirma resultados de estudos realizados na Alemanha e em Israel.

Com base no geoprocessamento da cidade, a pesquisa constatou que mais de 80% das pessoas que morreram de cânceres relacionados à radiação eletromagnética – emitida pelos celulares – moravam a cerca de 500 metros de distância de alguma antena.

A tese é tema da edição do Boletim UFMG que circula na segunda-feira, 12 de abril.

Níveis seguros?
Há níveis seguros de radiação para a saúde humana? “Esse é exatamente o problema: até agora, ninguém sabe quais os limites de uso inócuos à saúde”, explica Adilza Dode, ao destacar que os padrões permitidos no Brasil são os mesmos adotados pela Comissão Internacional de Proteção Contra Radiações Não-Ionizantes (Icnirp), normatizados em legislação federal de maio de 2009. Para a pesquisadora, esses padrões são inadequados. “Eles foram redigidos com o olhar da tecnologia, da eficiência e da redução de custos, e não com base em estudos epidemiológicos”, assegura.

Entre os 22.543 casos de morte por câncer ocorridos em Belo Horizonte de 1996 a 2006, Adilza Dode selecionou 4.924, cujos tipos – próstata, mama, pulmão, rins, fígado, por exemplo – são reconhecidos na literatura científica como relacionados à radiação eletromagnética.

Na fase seguinte do estudo, elaborou metodologia inédita, utilizando o geoprocessamento da cidade, para descobrir a que distância das antenas moravam as 4.924 pessoas que morreram no período. “A até 500 metros de distância das antenas, encontrei 81,37% dos casos de óbitos por neoplasias”, conta a pesquisadora, professora do Centro Universitário Izabela Hendrix e da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais.

“Não somos contra a telefonia celular, mas queremos que o Brasil adote o princípio da precaução, até que novas descobertas científicas sejam reconhecidas como critério para estabelecer ou modificar padrões de exposição humana à radiação não ionizante”, diz a pesquisadora.

Recomendações
Em um capítulo de sua tese, ela lista uma série de recomendações. Entre elas, a de que o Brasil adote os limites já seguidos por países como a Suíça. Sugere, ainda, que o governo não permita transmissão de sinal de tecnologias sem fio para creches, escolas, casas de repouso, residências e hospitais; crie infraestrutura para medir e monitorar os campos eletromagnéticos provenientes das estações de telecomunicação e desestimule ou proíba o uso de celulares por crianças e pré-adolescentes.

Componente da banca que avaliou a tese de Adilza Dode, o professor Francisco de Assis Ferreira Tejo, do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Campina Grande, afirma que a tese desenvolvida por Adilza Dode "deve ser um marco para que a sociedade brasileira e o Ministério Público comecem a se debruçar sobre a questão dos efeitos biológicos dos campos eletromagnéticos".

A tese Mortalidade por neoplasias e telefonia celular em Belo Horizonte, Minas Gerais foi defendida em 26 de março de 2010, junto ao Programa de Doutorado em Saneamento, Meio Ambiente, e Recursos Hídricos (Desa) da Escola e Engenharia da UFMG, e teve como orientadora a professora Mônica Maria Diniz Leão, do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, da Escola de Engenharia e co-orientadora a professora Waleska Teixeira Caiaffa, do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina.

Fonte: http://www.ufmg.br/online/arquivos/015092.shtml

- Uma gota de água

Você já parou, alguma vez, para observar uma gota d'água?

Sim uma pequena gota d'água se equilibrando na ponta de um frágil raminho. Com graciosidade a gotícula desafia a lei da gravidade, se balançando nas bordas das folhas ou nas pétalas de uma flor.

São gotas minúsculas,  que enfeitam a natureza nas manhãs orvalhadas ou permanecem como pequenos diamantes líquidos, depois que a chuva se vai. É por isso que um bom observador dirá que a vida seria diferente se não existissem gotas de água para orvalhar a relva e amenizar a secura do solo.

Madre Tereza de Calcutá foi uma dessas almas sensíveis. Um dia, um jornalista que a entrevistava disse-lhe que, embora admirasse o seu trabalho junto aos pobres e enfermos, considerava que o que ela fazia, diante da imensa necessidade, era como uma gota d'água no oceano. E aquela pequena sábia-mulher, lhe respondeu: "Sim, meu filho, mas sem essa gota d'água o oceano seria menor.”

Sem dúvida uma resposta simples e extremamente profunda, pois sem os pequenos gestos que significam muito, a vida não seria tão bela. Um aperto de mão, em meio a correria do dia-a-dia. Um minuto de atenção a alguém que precisa de ouvidos atentos, para que não caia nas malhas do desespero. Uma palavra de esperança a alguém que está à beira do abismo. Um sorriso gentil a quem perdeu o sentido da vida. Uma pequena gentileza diante de quem está preso nas armadilhas da Ira. O silêncio, frente à ignorância disfarçada de ciência. A tolerância com quem perdeu o equilíbrio. Um olhar de ternura para quem pena na amargura.

Pode- se dizer que tudo isso são apenas gotas d'água que se perdem no imenso oceano, mas são essas pequenas gotas que fazem a diferença para quem as recebe.

Sem as atitudes, aparentemente insignificantes, que dentro da nossa pequenez conseguimos realizar, a humanidade seria triste e a vida perderia o sentido.

Um abraço afetuoso, nos momentos em que a dor nos visita a alma. Um olhar compassivo, quando nos extraviamos do caminho reto. Um incentivo sincero de alguém que deseja nos ver feliz, quando pensamos que o fracasso seria inevitável.

Todas essas são atitudes que embelezam a vida, e se um dia alguém lhe disser que esses pequenos gestos são como gotas d'água no oceano, responda, como Madre Tereza de Calcutá, que sem essa gota o oceano de amor seria menor.

Tenha certeza disso, pois as coisas grandiosas são compostas de minúsculas partículas.

 

Fonte: www.momento.com.br - Site do "Momento Espírita"

- Grupo de Câmara do Imperador no Forte de Copacabana.

        Rio de Janeiro-RJ - O Grupo de Câmara do Imperador, formado por integrantes da Banda de Música do 1º Batalhão de Guardas, (Batalhão do Imperador)  realiza no dia 05/05/2012 uma apresentação especial no Forte de Copacabana, atendendo o convite do Projeto Violões no Forte.

        Na oportunidade, o Grupo de Câmara do Imperador, apresentará um repertório especial para o happy hour carioca, viajando pelo som da MPB e aos clássicos da música POP Internacional.

gcimpeador001 Regente: STen Amilton Passos

Direção Artística: Márcia Melchior

Quando: 05/05/2012 Horário: 18h

Duração: 60 min Entrada: Gratuita.

Local: Alameda Octávio Corrêa, no Forte de Copacabana.

Rio de Janeiro - RJ