Foto da capa

Foto da capa

- Volumes absurdos de chuva provocam calamidade no interior gaúcho

O ano mudou, mas as imagens dramáticas de alagamentos, resgates em córregos, casas submersas e cidades inteiras debaixo d’água que marcaram o segundo semestre de 2009 se repetem. Chuva torrencial castigou vários municípios no final do domingo e principalmente nesta segunda-feira. Os maiores volumes se concentraram nas regiões de Alegrete, Soledade, Lajeado e Sobradinho com até 200 milímetros, conforme dados de estações mantidas pelo governo e universidades.

!cid_part5_09090108_05050504@cruzvermelhasm_org 

As estações do Inmet, por exemplo, acusaram até 19 horas 210,4 milímetros em Soledade; 170,4 em Alegrete; 144 em Bento Gonçalves; 112,4 em Santa Maria, 91,8 em Santana do Livramento; e 69 milímetros em Canela. Em Lajeado, a chuva somou até o mesmo horário 151,6 milímetros e em Sinimbu o acumulado até o fim da tarde atingia 236. Rádios e autoridades, contudo, relatavam até 380 milímetros apurados por medições comunitárias em Segredo e Arroio do Tigre, no Centro-Serra. Houve relatos, que não podem ser confirmados, nem tampouco descartados, de até 400 milímetros na região do Centro-Serra. Volumes tão elevados são absurdos e incomuns para menos de 24 horas, sendo equivalentes a mais de três meses de chuva em poucas horas. Ar bastante quente, que trouxe calor intenso de quase 35ºC para o Oeste,  avançou sobre o Estado hoje pelo Norte da Argentina, alimentando a instabilidade. Corrente de jato (vento) em baixos níveis da atmosfera atuava sobre o território gaúcho, acentuando a instabilidade nas áreas de relevo do Centro do Estado.

!cid_part6_05020806_03090509@cruzvermelhasm_org 

O quadro é grave e pode piorar, conforme a avaliação da MetSul Meteorologia. Outros municípios podem passar a apresentar problemas à medida que chuva forte a torrencial atinja outras localidades e volte e cair sobre os municípios já castigados, principalmente da Metade Norte gaúcha, no restante desta semana. O tempo não deve firmar até sexta-feira no Rio Grande do Sul e o risco de chuva forte a torrencial com volumes elevados em curtos períodos em pontos isolados se mantém nesta terça-feira e ainda na quarta e na quinta-feira.

 !cid_part7_05080501_08040408@cruzvermelhasm_org

Temporais isolados com vento forte e granizo não estão fora de cogitação, uma vez que ar ainda mais quente se deslocará para o Rio Grande do Sul nesta terça e por conta da passagem de uma frente fria entre quarta e quinta. Preocupam muito os rios do Centro do Estado porque já subiram muito e tendem a subir ainda mais. O Rio Taquari, em Estrela, subiu assustadoramente ao ritmo de 1 metro por agora à noite e já inundava algumas ruas da cidade. Choveu demais também na nascente do Jacuí e ainda virá mais água para as áreas de Soledade e Espumoso. O risco de novos deslizamentos de terra e queda de barreiras é alto à medida que o solo já está saturado e um tanto instável. (Fotos de Ricardo Duren/Gazeta do Sul e Diane Rigetti/CP e Laerson Rigon/Gazeta da Serra)

Autor: Alexandre Amaral de Aguiar
Publicado em 04/01/2010 23:34

Nenhum comentário:

Postar um comentário