Foto da capa

Foto da capa

- Onda de frio histórica no Rio Grande do Sul e Santa Catarina (2009)


Muitos moradores do Sul da província de Buenos Aires amanheceram testemunhando um cenário que jamais tinham visto. A maior nevada desde 1965 na região trouxe até meio metro de neve. Crianças faziam guerra de bolas de gelo nas ruas de Bahia Blanca, onde a neve, segundo as autoridades, foi a maior em cinqüenta anos. Os maiores eventos de neve na região teriam ocorrido em 30 de agosto de 1869; em 1903; em agosto de 1913; em agosto de 1943; em junho de 1955 e em 9 de julho de 1965. A sensação térmica na cidade atingiu -18ºC.
Cenas de ruas, árvores e casas cobertas de branco se repetiram em vários outros pontos do país. A histórica nevada atingiu ainda as províncias de La Pampa, Córdoba, San Juan, San Luis e Mendoza. Muitos disseram jamais ter visto tanta neve em suas vidas. Em San Luis, a neve atingiu um metro em alguns pontos. Na província de Buenos Aires, o gelo sobre a pista obrigou o fechamento de algumas rodovias. O vento intenso carregava a neve e tornava a visibilidade quase nula, fenômeno chamado de blizzard na América do Norte.
A nevada que começou ainda nas primeiras do dia no Sul da Província avançou para o Norte durante o dia e à tarde estava já no Rio da Prata. No meio da tarde, moradores passaram a relatar neve misturada à chuva na Grande Buenos Aires. Logo após, em boletim, veio a confirmação da neve pelo Aeroporto Internacional de Ezeiza, onde seguia nevando no começo da noite. Apesar do Serviço Meteorológico Nacional da Argentina não ter confirmado neve na cidade de Buenos Aires, as rádios e emissoras de televisão receberam dezenas de relatos de vários pontos da Capital argentina sobre a queda de flocos de neve. O frio nas ruas portenhas era extremo com garoa, 4ºC e vento de 90 km/h ao fim da tarde. A ventania derrubou árvores e provocou falta de luz, afetando os serviços de trens. A cidade de Buenos Aires testemunhou em julho de 2007 uma grande nevada, a primeira desde 1918.
No outro lado do Rio da Prata, Montevidéu enfrentava no começo da noite de ontem 5ºC, chuva e rajadas de até 100 km/h (reprodução acima do El Observador). Árvores foram derrubadas pelo vento no bairro de Carrasco e outros pontos da cidade. Os portos de Montevidéu, La Paloma e Punta del Este foram fechados devido ao vento. Aulas foram suspensas em Maldonado e até jogos de futebol acabaram adiados pelo temporal de vento e frio. No fim da tarde, moradores de várias localidades do Sul uruguaio passaram a relatar chuva misturada à neve. Nevou também em Santiago do Chile, para onde a previsão de temperatura mínima hoje era de 5ºC abaixo de zero. O frio vai aumentar ainda mais de intensidade e pode voltar a nevar hoje no Leste da província de Buenos Aires e no Uruguai. A região de Buenos Aires e o Uruguai enfrentaram ontem uma tempestade de inverno semelhante a um Nor’easter, um centro de baixa pressão que traz frio intenso, vento acima de 100 km/h e neve para o Nordeste dos Estados Unidos quase todos os invernos.
O ar gelado já começou a ingressar no Rio Grande do Sul e a temperatura estava abaixo de zero no amanhecer desta quinta-feira na fronteira com o Uruguai com dois graus negativos em Santana do Livramento. O ar polar ganha mais força aqui no Estado nas próximas horas, quando a sensação térmica vai estar por demais baixa por efeito do vento com rajadas. A nebulosidade em muitas regiões tornará o dia ainda mais gelado, No final desta quinta-feira, antes mesmo da chegada da madrugada, já podem ser registrados valores de temperatura perto de 0ºC em muitos locais do Estado. Amanhã, o frio aumenta bastante e ainda vai ter vento, tornando o dia inteiro gelado. As máximas da sexta-feira devem ser muito baixas, semelhantes as da tarde do memorável 13 de julho de 2000, ficando abaixo de 10ºC em um grande número de municípios, mesmo com sol. Em Porto Alegre, na sexta, pode ficar apenas ao redor de 10ºC. As madrugadas de amanhã, sábado e do domingo devem ser congelantes no Rio Grande do Sul com marcas negativas generalizadas e que poderiam ser registradas até em Porto Alegre e no Litoral, onde raramente a temperatura cai abaixo de zero. A MetSul reitera que o frio será demais intenso exigirá atenção redobrada das autoridades com a população de rua porque o risco de hipotermia para pessoas desabrigadas será extremo. Há potencial de perdas na agricultura para culturas sensíveis à geada – que será forte a severa em caráter generalizado - e frio intenso nesta época do ano.
A previsão da MetSul Meteorologia indica que na Grande Porto Alegre, poderiam ser registradas mínimas entre -1ºC e -3ºC. Nos bairros mais frio da Capital, a temperatura ficaria entre -2ºC e 0ºC. Marcas de -4ºC a –5ºC, significativas até para a Serra, poderiam ser observadas na fronteira com o Uruguai e no Oeste, o que estaria perto de mínimas históricas, não se descartando marcas menores em baixadas das áreas de relevo da Metade Oeste (-6ºC a -7ºC). Nos Aparados, não podem descartadas marcas de -5ºC a -7ºC, podendo ficar entre -7ºC e 9ºC em áreas de baixada em que não há medição por equipamentos meteorológicos como o Vale da Truta em São José dos Ausentes. No Planalto Sul Catarinense, as mínimas podem ficar entre -9ºC e 11ºC nas baixadas e entre -5ºC e -8ºC na maioria dos pontos da região. A sensação térmica hoje e amanhã tanto nos Aparados como no Planalto Sul de Santa Catarina pode atingir valores de até 25ºC negativos, assim como em 12 e 13 de julho de 2000. O ar gelado trará frio muito intenso ainda para o restante de Santa Catarina, o Paraná e parte do Centro-Oeste, sobretudo no Mato Grosso do Sul. O ar gelado atingirá ainda com força o Paraguai e parte da Bolívia. Há possibilidade de friagem em alguns pontos do Norte do Brasil.
A esmagadora maioria das simulações computadorizadas segue sem indicar neve para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina entre hoje e amanhã. No começo da semana, porém, indicávamos que "dificilmente, se analisada a história, massas de ar polar tão intensas não trazem neve para o Sul do Brasil". É o que seguimos acreditando. Muito mais no dia de hoje. Conforme informado pela MetSul nesta quinta-feira no Correio do Povo, o ingresso do ar mais gelado entre hoje e amanhã se dá com aumento na quantidade de nuvens no Rio Grande do Sul e Santa Catarina e podem surgir condições ideais para o fenômeno. Havendo instabilidade, as condições estariam propícias até para neve em locais de menor altitude pouco acostumados ao fenômeno. Imagens de satélite mostravam nuvens avançando do Norte da Argentina para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina a ponto do radar meteorológico mostrar pela refletividade instabilidade fraca no Oeste gaúcho. A chance, contudo, existe, apesar de ser pequena.
O evento extremo de frio dos próximos dias foi antecedido por valores quase sempre negativos da Oscilação Antártica (AAO) nos últimos três meses e um brutal declínio da oscilação no fim de julho e no começo de julho, tendo alertado a MetSul os seus clientes ainda em 18 de junho último que o comportamento da Oscilação Antártica e da cobertura de gelo no pólo eram indicativos do risco de eventos extremos de frio neste inverno.  (Colaboraram Luiz Fernando Nachtigall e Alexandre Aguiar)
Autor: Eugenio Hackbart - Publicado em 23/07/2009 07:57

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens em Destaque

Amilton Passos em Contos, Crônicas e Poesias

Amilton Passos em Contos, Crônicas e Poesias